PAIS – Produção Agroecológica Integrada e Sustentável

Horta mandala no Córrego do Sal - Icapuí/CE

Horta mandala no Córrego do Sal – Icapuí/CE

img_0263

Foi implantado no Córrego do Sal em Icapuí – CE com o grupo de Mulheres Alimentando Vidas com apoio da Petrobras através do Projeto “De Olho na Água” realizado pela Fundação Brasil Cidadão.

O PAIS trata-se de uma tecnologia social que está sendo reaplicada em diversas regiões do estado, com baixo custo e tendo, como premissa, o manejo orgânico da produção, fugindo da produção convencional e incentivando os agricultores a adotarem em sua propriedade uma policultura.

É a chamada horta em mandala onde no centro desse sistema circular, temos um espaço para a criação de pequenos animais, no caso, galinhas caipiras. O esterco produzido pelas aves é utilizado para adubar a horta, e os ovos para alimentação e/ou comercialização. Ao entorno do galinheiro são preparados os canteiros. Assim, é analisado a prospecção do potencial produtivo de cada unidade produtiva selecionada para implantação do sistema PAIS e implementados os sistemas de produção de acordo com as potencialidades identificadas em cada região.

Com técnicas de manejos simples e sustentáveis, o PAIS estimula o agricultor a trabalhar o solo, de modo que ele tenha nesse pequeno espaço de terra altas produtividades. Dessa forma, são aplicadas oficinas com enfoque em tecnologias de produção, em fortalecimento da cooperação, em formação de redes associativas e organização de grupos familiares produtivos, em comportamento empreendedor, em planejamento, controles, além de serem realizadas ações voltadas para potencializar a comercialização dos produtos de forma a contribuir com o acesso dos produtores aos mercados.

OBJETIVOS DO PAIS

– Valorizar a agricultura familiar e suas diversas formas de organização, assim como, propiciar a inclusão dos participantes no processo produtivo e de comercialização;
– Produzir alimentos limpos e saudáveis;
– Implantar sistema agroecológico de produção;
– Promover o desenvolvimento rural sustentável e solidário, mostrando as experiências nas áreas ambiental, social, produtiva e de comercialização;
– Dar visibilidade às políticas de geração e gênero (mulheres, jovens e terceira idade);
– Propiciar retorno econômico e social, gerando riquezas para a comunidade;
– Propiciar meios de permanência da mulher, do homem, e do jovem rural no campo;
– Promover política de geração de emprego e renda, melhorando a qualidade de vida nas comunidades.

 

Leia também