Ambientalistas defendem democratização da água

Participaram da audiência vereadores da Casa, ambientalistas e representantes de órgãos municipais. Os debatedores expuseram os pontos de vista sobre a questão, mas a dúvida sobre a validade do projeto uma constante para muitos.

“Ainda não existe uma posição oficial do município”, observou o representante da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semam), Josael Lima. Para o presidente da Comissão de Meio Ambiente da OAB, Aloísio Pereira Neto, é difícil se posicionar sobre a obra. “Vamos nos posicionar de acordo com os anseios da sociedade e dentro da legalidade”, disse.

A transposição das água do rio São Francisco não é um projeto recente, como pontuou o geógrafo Caio Lóssio e é encarado por seus defensores como uma das saídas ou a melhor solução ao problema da seca no semi-árido. “Para se definir o problema de uma vez, basta se fazer um projeto científico sem os interesses dos grandes empresários”, observou o geógrafo.

Um dos problemas levantados contra a obra de interligação das bacias e transposição das águas do São Francisco é o uso dessa água. Um dos argumentos contra o projeto é de que a água transposta poderá trazer mais benefícios aos empresários que ao abastecimento das regiões, sua principal meta. “Para quem vai essa água? A gente tem que ver isso com muita cautela”, destaca o representante da OAB.

Mas para o vereador Lula Morais, um dos responsáveis pela realização da audiência pública, o uso da água será controlado pela própria população, através dos Comitês das Bacias Hidrográfica, já existentes e que com a obra terão um trabalho ainda maior. “A democratização dos Comitês de Bacias com a participação da sociedade garantiria o bom uso da água”, destaca o vereador.

Durante a audiência, foi sugerido que o Ceará se engaje mais na luta a favor do projeto de transposição. “Uma seca no Nordeste consome a metade do custo da transposição. Você tirar 1% de água que vai para o mar, para trazer para o Nordeste, você vai garantir água para 12 milhões de pessoas”, ponderou Lula Morais.

© 2004 Editora Verdes Mares. Todos os direitos reservados.


Enviado por Bosco Carbogim (boscocarbogim@promosell.com.br)

Leia também